Sejamos servos bons e fiéis

Sejamos servos bons e fiéis, que não param nos receios de frutificar o pouco ou o muito que o Senhor nos confia

“Muito bem, servo bom e fiel, sobre o pouco foste fiel” (Mateus 24,21).

Nesta parábola dos talentos, dentro do discurso escatológico de Jesus, somos chamados a frutificar nossos dons e nossas virtudes. A narrativa diz que três servos receberam quantidades de talentos conforme suas capacidades, para serem multiplicados. Porém, o que recebeu um talento não correspondeu às expectativas do seu senhor, porque estava muito preocupado consigo mesmo.

O servo, ao enterrar o seu único talento, não só deixa de tentar multiplicá-lo, como ainda tem medo de perdê-lo, por isso, o enterra para ter segurança. Isso, muitas vezes, acontece conosco quando nos deixamos paralisar pelo medo, pela preguiça e insegurança perante os vários talentos, dons e virtudes que o Senhor nos concede, para que os frutifiquemos na construção do Reino de Deus.

Entretanto, quando usamos bem os talentos que o Senhor nos confia, ouvimos d’Ele o que os outros dois servos da parábola ouviram: “Vem alegrar-te com o teu Senhor”.

Sejamos, portanto, servos bons e fiéis, que não param nos receios nem nas desconfianças de frutificar o pouco ou o muito que o Senhor nos confia.

Deus o abençoe
Márcio Leandro

Confira também:
.:Como deve ser iniciada a vida mística dos cristãos?
.:A santidade está ao alcance de todos e de qualquer cristão

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Márcio Leandro Fernandes