E quando chega o limite do cansaço ou da humilhação?

O discurso das virtudes é muito bonito, desafiante e motivador, afinal, quem não quer vencer seus próprios limites ou os limites dos outros? Mas o que acontece quando somos surpreendidos pelo turbilhão das emoções, do cansaço, da falta de tempo e dos imprevistos? Será que conseguimos nos comportar como vencedores?

A verdade é que, sem as virtudes, não chegamos ao Céu. Elas são como contrapesos que precisamos carregar ao longo da estrada, mesmo sabendo que isso será cansativo, mas nos impedirão de cair a qualquer solavanco da vida, pois a estrada para o Céu não é só reta nem é de asfalto!

Adquirir vícios é fácil, mas uma virtude exige muito esforço. Nada é tão oportuno para exercitar uma virtude do que uma dificuldade. É preciso decisão e fé. Creia: Deus quer, você consegue!

Com carinho e orações,
Márcio Todeschini

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Márcio Todeschini

↑ topo